Golpe do boleto bancário cresce 63,6% em 2019

Atualmente, uma das formas de pagamento mais utilizada pelas pessoas é o boleto bancário. Por ser prático e de fácil acesso, muitos optam por pagar contas dessa maneira. Mas o que parece ser simples e seguro, pode tornar-se um problema.

O golpe do boleto falso, cada vez mais comum na internet, consiste na adulteração de dados bancários ou código de barras, em que o valor pago não é direcionado para o credor, mas sim para um destinatário desconhecido. Esse tipo de fraude acontece principalmente por meio de emissão de vias em sites, e-mail e WhatsApp.

Após realizar o pagamento, o consumidor recebe mensagens de cobranças referente ao boleto emitido, que já teria sido pago, e então percebe que foi vítima de um golpe. Não é incomum encontrar alguém que já tenha passado por isso ou que quase caiu na armadilha. Segundo o Reclame Aqui, o número de queixas desse tipo aumentou 63,6% neste ano.

Na hora de pagar uma conta é importante certificar-se da procedência do site, origem do e-mail e dados do código de barra. Empresas só enviam a segunda via quando o documento é solicitado pelo cliente, caso contrário, desconfie.

O que fazer se cair no golpe?

O Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor) orienta o cliente a procurar, primeiramente, a empresa prestadora do serviço ou o banco envolvido na fraude para obter reembolso. Além disso, também é importante tirar cópias do boleto, comprovante de pagamento e ir até a delegacia registrar boletim de ocorrência.

 

Link: http://www.contabilidadenatv.com.br/2019/10/golpe-do-boleto-bancario-cresce-636-em-2019/

As matérias aqui apresentadas são retiradas da fonte acima citada, cabendo à ela o crédito pela mesma.